Desde 1980 o rap vem deixando sua marca no Brasil e conquistando um público diverso e enérgico. Por contar histórias e exaltar a força interior, ouvintes se identificam, respeitam, valorizam e curtem essa batida.

Em seus determinados estilos, a cena não para de revelar novos talentos e, aqui, separamos algumas estreias que você tem que escutar. Solta o play que só tem track boa.

Zudzilla – De onde eu possa alcançar o céu sem precisar deixar o chão

Criando um ponto em comum entre tudo o que já produziu musicalmente, Zudizilla lança seu segundo disco, “De onde eu possa alcançar o céu sem precisar deixar o chão” , trabalho que carrega uma mensagem de fragmentação de personalidade e busca pelo individual em um coletivo que nada lhe representa. Com referências como Kendrick Lamar, Brown, Travis Scott, Emicida, Commom, Mos Def e J Cole, as tracks fogem do clichê e carregam história, sentimento e evolução. O álbum conta o trajeto de um personagem que é transversal a todos os diaspóricos.

https://www.youtube.com/playlist?list=PL8EaHn_WNh-1E2uDN3-kp2HYlq8zyuCez

IZENZÊÊ – Vida e Nada Mais

Chegando com o primeiro disco solo do projeto IZENZÊÊ, Vitor Isensee lança “Vida e Nada Mais”. Com 10 faixas, o álbum reflete sobre temas existenciais, sociedade de consumo, desconstrução da masculinidade, afetos, amores e o tal assombro diante da Vida, que o artista faz questão de escrever com a letra “V” maiúscula. O trabalho, guiado pelo rap, pelo future bass, pelo trap e pela herança musical brasileira, une a poesia do artista com a sonoridade do produtor Tomás Troia, resultando em uma música que questiona e que exalta o prazer de viver. Nas participações: Duda Beat, Morcego, Luê e Castello.

https://youtu.be/zFukH4GQqYs

Thiago Elniño – “Pedras, Flechas, Lanças, Espadas e Espelhos”

Em seu segundo disco, Thiago Elniño une mandinga, ritmo e poesia para documentar a jornada de um homem negro que alimenta sua fé pelo direito de continuar sonhando, sendo honesto com a arte que faz, responsável, ciente da sua ancestralidade e espiritualidade africana. Com 12 faixas produzidas por Martché e beatmakers de todo o país, o álbum propõe ser um relicário da música preta brasileira e traz as participações de Luedji Luna, Rincon Sapiência, Tássia Reis, Ricardo Aleixo, Daiana Damião e Natache.

https://www.youtube.com/playlist?list=PLAZ1v8rvXxtAVyoDJUyRDv0t76-OCbwz3

Yannick Hara – Lágrimas na Chuva

“Lágrimas na Chuva” é o novo single do rapper Yannick Hara e conta com a participação especial de Rodrigo Lima, vocalista da banda Deadfish. Baseada na famosa cena  “Tears In The Rain”, final do filme Blade Runner, a composição reflete sobre estar na própria companhia e entender o propósito da vida como missão e caminhada. Na sonoridade, embalada por um clássico boombap, a inspiração veio do início de “Jesus Chorou”, música dos Racionais MC’s.

https://open.spotify.com/album/24uuMBBMoMTaJTw1uWiEEV