No dia 22/6, Sófálá promove no Red Bull Station competição de poesia falada, além da presença de autoras independentes e discotecagem da DJ Carlu

No dia 22 de junho, o Red Bull Station recebe a terceira edição do ano do Sófálá, programa que desde 2015 leva a voz das ruas ao auditório do espaço, com competições de poesia falada (slam) sobre temas diversos.

Comandada pelo mestre de cerimônia Emerson Alcade há quatro anos anos, a disputa entre slammers mantém a mesma dinâmica que o consagrou: em 2019 será um vencedor por edição, totalizando seis ganhadores ao final do programa.

Neste mês, além do torneio, o Sófálá também recebe duas boas representantes da literatura engajada e de temas relacionados à cultura negra. A primeira delas é Cidinha da Silva, responsável pela editora Kuanza Produções, que já publicou livros da escritora, como “Exuzilhar” e “Pra Começar”, e em breve lançará “Africanidades e relações raciais: insumos para políticas públicas na área do livro, leitura, literatura e bibliotecas no Brasil”. O segundo nome é Cecília Floresta, escritora paulistana afrodescendente que ganha a vida editando livros e pesquisando narrativas e poéticas ancestrais iorubás e seus desdobramentos na diáspora negra contemporânea, lesbianidades e literaturas insurgentes. “Poemas Crus”, seu primeiro livro, foi publicado pela editora Patuá em 2016.

Quem comanda o som é a DJ Carlu, colecionadora de discos em vinil, pesquisadora e amante da música brasileira que normalmente embala e agita as quebradas da zona sul de São Paulo, onde mora.

Serviço:

Data e horário: Sábado, 22/06, das 16h30 às 19h.

Local: Red Bull Station (auditório) – Pça. da Bandeira, 137, Centro.

Capacidade: 100 lugares (sentados). Entrada gratuita.

Foto Capa: Fabio Piva/ Red Bull Content Pool