Aconteceu no último final de semana, no Shopping Tatuapé, em São Paulo, mais uma edição da tradicional Batalha Final, que já existe há 20 anos.

O evento, que já é bastante conhecido dentro e fora da Cultura Hip Hop dirigido por Rooneyoyo e DJ Ninja, foi criado com o intuito de difundir e profissionalizar a cultura do Breaking, além de revelar e abrir caminhos para os novos talentos. Foi nesse evento que Chaya Gabor (9), conhecida no circuito de campeonatos de Breaking como B-Girl Angel, de São Paulo, que faz parte da Dream Kids Brazil, conquistou o 1° lugar na Batalha Kids e o 3° lugar na Batalha de B-Girls. No Kids disputou o título com a B-Girl Madu, numa batalha eletrizante que agitou todo o público presente no Shopping e entre as B-Girls batalhou primeiro com a veterana FabGirl e depois com a B-Girl Andressa. São de Rooneyoyo, organizador da Batalha Final, as palavras: “Foi emocionante ver essas meninas da nova geração batalhando! Na batalha de B-Girls ver de um lado a FabGirl, que escreveu história e abriu espaço para muitas b-girls e do outro lado ver a Angel, com apenas 9 anos e que representa a nova geração foi muito bom”, finaliza.

Sobre Angel, a menina sempre gostou de batalhas! O que muitos não sabem é que a maior delas foi assim que chegou ao mundo e o prêmio foi a própria vida. Com um passado ligado a muitos fios, incubadora e balão de oxigênio, foram assim os primeiros meses da vida dessa B-Girl, nome usado no meio do Breaking que se refere às meninas que dançam na rua: marcado pela prematuridade extrema, Chaya nasceu com 850 gramas, ficando internada numa UTI Neo Natal por 90 dias, tendo sobrevivido a 2 paradas cardiorrespiratórias. Após sua alta médica, teve apneia da prematuridade, necessitando de monitoramento contínuo e utilização de oxímetro em seu primeiro ano de vida, ela esquecia-se de respirar mas não deixava de batalhar pela vida jamais. Seu nome significa “Presente de Deus” e segundo sua família sempre representou isso na vida de todos que a conhecem. Sua emocionante história virou um livro chamado “Gerando Milagres”.

Angel começou a dançar bem cedo, no início por uma indicação médica, já que não gostava de nadar. Com 3 anos, no Ballet e Sapateado, depois, acompanhando o irmão, B-Boy Eagle (12), já com quase 4 anos trocou o Ballet pelo Breaking, onde se encontrou. Curada por Deus e abraçada pela Cultura Hip Hop, a menina que tem uma personalidade marcante na hora da dança é carinhosamente chamada por seu treinador Eder Devesa de “Senhorita Power Move”, pelo talento nato em assimilar os movimentos acrobáticos. São dele as palavras: “B-Girl Angel ainda vai dar trabalho para as B-Girls do mundo todo”. Além da dança, Chaya e seu irmão trabalham condicionamento físico e fazem aulas de alongamento às quartas-feiras. Todo esse esforço e preparo físico visa a carreira fora do país e participação em grandes eventos como as Olimpíadas, que depois de 2020 pode virar uma realidade. Angel torce para isso! No dia a dia o treino é intenso, afinal, para quem tem esse foco muita dedicação e persistência não podem faltar! São dos pais da menina as palavras: “Nossa pequena é uma guerreira desde que nasceu, lutou pela própria vida e venceu! Hoje sua rotina não é fácil, mas sabe onde quer chegar! Com apenas 9 anos tem consciência que os sonhos são importantes, mas que as ações são a força motriz para que tudo aconteça. Nada vem sem esforço e foco! O tempo é seu grande aliado em toda essa história, tanto ela como o irmão começaram cedo! Temos muito cuidado com a carreira dos nossos filhos, acompanhamos de perto seus passos e o dia a dia da cultura, pois existem muitos oportunistas prometendo coisas que jamais poderão cumprir, tudo visando autopromoção e colocações, usando crianças inocentes para cumprir seus objetivos. Então, todo cuidado é pouco! É importante ter muita cautela!”, concluem.

Pequena mas com um talento gigante, Angel foi pioneira sendo a primeira criança na história a ser finalista do Prêmio Sabotage, feito pela Câmara Municipal de São Paulo e participou de eventos como: Rival Vs Rival (SP), Breaking Combate (SP), 2º lugar no Peruíbe Dance Festival (SP), Master Crews (SP), BreakSP Battle, B-Boy World Classic (SP), Ar Dance (SP), 2° lugar na Tattoo Week (SP), Festival Santos Café (Santos/SP), R16 (SP) e esteve no Red Bull BC One Camp Brazil. Já foi notícia na Revista Rap Nacional, Revista BreakSP, Portal Uol, Portal Encene-se, Portal de Cultura Urbana, Portal Bocada Forte, TV Record, Jornal Diário de Ceilândia, Portal da Prefeitura de Itanhaém, Portal OH2C, Portal Vale do Aço, Cultura de Itanhaém, Jornal Fatos, R7 (TV Record), Bom Dia SP (Rede Globo), Portal G1 e Portal A Tribuna (Rede Globo).

Ano que vem Angel se prepara para, junto com a Dream Kids Brazil, representar o país no exterior. São dela as palavras: “Toda batalha é um grande desafio! Eu amo dançar e quando faço isso me divirto! Passei por várias etapas na Batalha Final, nas B-Girls foi um momento especial batalhar com a FabGirl. Sempre que participo de competições faço o meu melhor. Sou grata a Deus por sempre estar comigo na hora que danço, aos meus pais, meu irmão e ao meu treinador B-Boy Dunda! Todo mundo pergunta: Por que sou brava quando danço? É o meu estilo e na dança cada um tem o seu estilo. Mas sou mais concentrada do que brava”, garante a menina entre sorrisos!