DJ se destaca por apresentar repertório autêntico, além de agregar MC a seu show

Matheus cresceu em meio ao funk e ao hip hop, daí surge a paixão pela música de rua. Ao contrário dos DJs convencionais, o que destaca seu trabalho é o desempenho inovador. Além da apresentação com o Akay MPC, o funkeiro adicionou o saxofone ao repertório. A novidade agradou em cheio ao público brasiliense. E não para por aí, o Disc Jockey também inova, levando sempre um MC para agitar as pistas por onde passa. A ideia de inovar surgiu pela sede de ser diferente.

“Geralmente é o MC que leva o DJ, no meu caso, acontece o oposto.  Além disso, eu gosto de inovar sempre, sem copiar o que outros profissionais já fazem. Mesmo que seja alguém que eu me espelhe”, ressalta Matheus.

Um dos maiores objetivos é apresentar sempre algo novo para o público. Alguns profissionais do ramo serviram de inspiração no início da carreira. O Dennis DJ é um deles. Matheus sempre teve muito trabalho para criar repertório, então começou a pensar em meios de facilitar a apresentação, sem sair do contexto do funk. A ideia de adicionar o sax surgiu devido a limitação musical de alguns eventos.

“Alguns locais não aceitavam o funk, por causa das letras, e como eu sempre gostei do som do sax, a primeira ideia que tive foi de adicioná-lo às batidas. O foco do projeto foi abranger os lugares onde o funk não era aceito”, esclarece.

O Caminho até aqui:

Matheus começou a tocar aos 13 anos de idade, por hobby, mas acabou se apaixonando e, em 2008 começou atuar profissionalmente na área, com a MC Jenny. Depois tocou um período com o grupo Bonde Tesão, onde obteve um grande destaque. O grupo Predadores, MC Pedrinho e MC Magrinho também entram na lista. O DJ também chegou a gravar com outros artistas do mesmo segmento, como Mr. Catra e MC Sapão. Felipe Araújo, Humberto e Ronaldo e Jerry Smith também já tiveram a presença de Matheus MPC em seus shows.

Mesmo sendo conhecido pelas apresentações nos bailes funks do DF, Matheus também agita as pistas com outros ritmos como o rap, o pagode e o sertanejo. São quase doze anos atuando no Distrito Federal e no Entorno. E além de tocar em outros estados como Minas Gerais, São Paulo, Goiás e Bahia, também já levou seu som para o Paraguai e para a Bolívia. Sobre as experiências vivenciadas durante esse tempo de trabalho, Matheus lembra que:

“as melhores apresentações foi com o grupo Bonde Tesão. O público era muito caloroso e demonstrava um carinho muito grande por nós. Era uma energia indescritível.”

O TRABALHO DE MATHEUS MPC PODE SER ACOMPANHADO NO YOUTUBE: