Grande expressão do afrofuturismo na Europa, com músicos de Moçambique e Gana, e radicada em Düsseldorf, Alemanha, a banda vem ao Brasil pela primeira vez

A Gato Preto irá participar de atividades do festival Favela Sounds em Brasília e em São Paulo. A turnê tem patrocínio do Goethe-Institut Brasil.

Em menos de um mês, tem início em Brasília o Favela Sounds – Festival Internacional de Cultura de Periferia. Para esta quarta edição, entre 11 e 17 de novembro, o festival confirma sua primeira atração internacional: a banda Gato Preto, radicada em Düsseldorf/Alemanha e formada por artistas de Moçambique, Gana e Senegal.

Máxima expressão do afrofuturismo na Europa e liderada pela explosiva vocalista moçambicana  Gata Misteriosa, a banda vem pela primeira vez ao Brasil para duas atividades do festival Favela Sounds. A primeira em São Paulo no dia 15/11, com uma roda de conversa e show no quilombo urbano Aparelha Luzia, e a segunda em Brasília no dia 16/11, como parte do lineup deste festival muito especial, que leva a favela para o centro do poder político, em Brasília.

A sonoridade diversa da Gato Preto é auto denominada Global Bass Afrofuturista. Ao fundir a música e a cultura de Moçambique às sonoridades do Gana ao Senegal, Gato Preto faz repensar tudo o que você entende sobre a música africana. Com apresentações afrofuturistas, o grupo não dá apenas um show; como também constrói uma verdadeira cena de novos e talentosos artistas vindos do continente africano, que passam a ganhar luz no cenário europeu.

Junto a esse caldeirão sonoro africano, o trio bebe na essência do funk carioca, nos township grooves da África do Sul e no hybrid tech chamado kuduro, de Angola. O produtor e músico da banda, Lee Bass, de origem ganense e alemã, cria as bases para as afiadas rimas da MC Gata Misteriosa, moçambicana que viveu em Lisboa e hoje mora na Alemanha, e os djembês emocionantes do percussionista Moussa Diallo.

A banda construiu sua reputação através de performances ao vivo altamente enérgicas – eles combinam batidas eletrônicas com poderosas percussões ao vivo e a voz intensa da Gata Misteriosa – projeções e figurinos que expressam o sentimento de futuro da diáspora no continente em que vivem hoje.

A primeira turnê da banda pelo Brasil conta com o patrocínio do Goethe-Institut. Nos últimos dois anos, o grupo passou por mais de 30 países, em agenda que envolveu eventos da importância de Glastonbury (GBR), Paleo Festival Nyon (Suíça), MED (Portugal), Nyege Nyege Festival (Uganda), Joshua Tree (EUA) e GlobalFest Festivals (EUA).

Segundo a NPR Music (NYC), responsável pelo projeto TinyDesk, “Gato Preto aponta tendências de uma nova cena para a música diaspórica, sendo uma das mais vibrantes e extravagantes bandas de música africana no momento”.

Serviço:

Em São Paulo
Data e hora: 15 de novembro, a partir das 20h
Local: Aparelha Luzia (Rua Apa, 78 – Campos Elíseos)
Entrada Franca
Classificação indicativa: 18 anos

Em Brasília
Data: 16 de novembro
Local: a definir.
Entrada Franca
Classificação indicativa: 16 anos