Nesse fim de semana ocorreu em Ceilândia-DF a sexta edição do Festival Elemento em Movimento, um dos maiores de cultura urbana da capital do país.

Foram dois dias com mais de 40 artistas de renome, tanto local quanto nacional, como Viela 17, Heitor Valente, Movni, Baco Exu do Blues, Bivolt, Tássia Reis, Ponto de Equilíbrio e um momento histórico: o retorno do Câmbio Negro aos palcos cantando:

“Sou negão careca da Ceilândia mesmo e dai?”

Além dos dois dias de festa ainda ocorreu na semana, na Casa do Cantador, o “Diálogos em Movimentos” com o tema “Periferias contra o machismo” promovendo rodas de diálogos com debates em diferentes formatos sobre vários temas como empoderamento feminino e LGBTQ+, racismo, empreendedorismo entre outros.

Realizado pela Rede Urbana de Ações Socioculturais – RUAS com patrocínio do Instituto Social Caixa Seguros e parceira com o Projeto Jovem de Expressão, o festival contou com a expressão de todos os elementos do Hip-Hop e com uma feira onde os empreendedores do projeto puderam expor seus produtos e movimentar a economia da quebrada.

Com dois ambientes super animados a galera dançou e se divertiu com um show gratuito e com muitos artistas de sucesso.

Muito além de um festival musical, os dois dias também foram um grito político contra o crescimento da política de ódio no país contra as minorias. O que coloca o Elemento em Movimento como algo que apesar de ser da Ceilândia representa a luta de todas as periferias do DF.

O tema do evento foi “O que vem de nós?”, o que representa uma expressão sincera, potente e carinhosa das periferias do Distrito Federal.

Confira algumas fotos:

[Mais fotos]