Deezer revela as 13 artistas brasileiras do rap mais ouvidas na plataforma, o público que mais ouve as minas do rap é de 18 a 35 anos e São Paulo é a top cidade, Irã e França são os países, depois do Brasil, que mais ouvem rap brasileiro feminino na plataforma

Neste 6 de agosto, celebramos não só o Dia do Rap Nacional, mas também o espaço que as mulheres vêm conquistando no gênero. A Deezer, plataforma global de streaming, aproveitou a data e levantou dados mundiais de performance de 13 rappers brasileiras feras nos últimos 12 meses. Os resultados você confere abaixo. Se quiser uma trilha sonora enquanto comemora os números com a gente, dê o play nas playlists da Deezer curadas exclusivamente com músicas de mulheres rappers,  Rap das Minas e a Women of Rap.

Vamos ao ranking:

13. Tasha e Tracie Okereke

As irmãs gêmeas e geminianas são conhecidas como as it girls da favela. Criadoras do movimento Expensive $hit, que promove “a auto-estima da mulher jovem, preta e favelada”, também são DJ’s do grupo de rap paulista CEIA ENT. Suas músicas mais ouvidas na plataforma são ‘Pjl: Pelo Menos uma Vez’ e ‘Cachorra Kmikze’.

– Cidades que mais ouvem: São Paulo, Curitiba, Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Brasília

– Países que mais ouvem: Brasil, Irã, África do Sul, Itália e EUA.

12. Preta Rara

Joyce Ferreira, artisticamente conhecida como Preta Rara, faz das rimas sua arma. As músicas da rapper e arte-educadora mais ouvidas na plataforma são ‘Filha de Dandara’, ‘Falsa Abolição’, ‘Não Desiste’, ‘Negra Sim’ e ‘Cabelo Bom (Ao Vivo)’. O público que mais abraça sua causa é o de 26-35 anos (48.82%), seguido pelo de 18-25 anos (37.8%).

– Cidades que mais ouvem: São Paulo, Rio de Janeiro, Curitiba, Belo Horizonte e Brasília.

– Países que mais ouvem: Brasil, França, Japão e EUA.

11. Mc Soffia

Com apenas 15 anos, cria músicas para quebrar paradigmas e preconceitos, sobretudo os que dizem respeito ao machismo e racismo. Dentre as letras que enaltecem a mulher e o amor próprio, as faixas mais ouvidas mundialmente são ‘Money’, ‘Barbie Black’, ‘Menina Pretinha’, ‘Brincadeira de Menina’ e ‘Minha Rapunzel Tem Dread’. As faixas etárias que mais ouvem têm entre 18-25 anos (49.27%) e 26-35 (37.67%).

– Cidades que mais ouvem: São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Curitiba e Recife.

– Países que mais ouvem: Brasil, Irã, EUA, França e Portugal.

10. Mariana Mello

Girl power ostentação: Mariana marcou sua presença no gênero musical ao gravar seu primeiro clipe musical (‘Universo em Crise’) grávida. ‘Poetisas no Topo’ é a campeã de streaming, seguida de ‘Quem Te Viu Passar’, ‘Recato’, ‘Da Onde Eu Vim’ e a própria ‘Universo em Crise’. Seu público majoritário (60.87%) é o de 18-25 anos.

– Cidades que mais ouvem: São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Curitiba e Recife.

– Países que mais ouvem: Brasil, Irã, EUA, França e Portugal.

09. Bivolt

Bárbara, mais conhecida como Bivolt, começou sua carreira em batalhas de MC na capital paulista e desde então busca mostrar que a mulher não se encaixa nos estereótipos criados pelos homens – principalmente no rap. Suas top músicas mais ouvidas são prova disso: ‘Poetisas no Topo’, ‘Eu Avisei’, ‘Vista Loka’, ‘Música Vai Transmitir’ e ‘Olha pra Mim’. O público que mais ouve (61.24%) tem entre 18 e 25 anos.

– Cidades que mais ouvem: São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Curitiba e Recife.

– Países que mais ouvem: Brasil, Irã, EUA, Portugal e França.

08. Tássia Reis

Essa paulista pega fogo: não só acaba de voltar de sua primeira turnê internacional como também lançou o álbum Próspera, na qual traz discussões sobre o feminismo negro entre menções a Beyoncé e Shonda Rhimes. Não à toa, ‘Vício, Shonda’ é a mais ouvida. Logo atrás vem ‘Sinfonia da Revolução’, ‘No Seu Radinho’ e ‘Ouça-Me R M X’. As pessoas que mais ouvem a rapper tem entre 18-25 anos (48.25%) e 26-35 anos (40.76%).

– Cidades que mais ouvem: São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Curitiba e Salvador.

– Países que mais ouvem: Brasil, França, Irã, EUA e Portugal.

07. Linn da Quebrada

A atriz e cantora travesti é ativista sobre os direitos LGBTQ+ e da população negra no Brasil. ‘Coytada’, ‘Necomancia’, ‘Bixa Preta’, ‘mEnorme’ e ‘Bomba pra Caralho’ são as músicas que mais fazem a galera pirar, respectivamente – principalmente aqueles com idade entre 18 e 25, que constituem 60.24% de seu público na plataforma.

– Cidades que mais ouvem: São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Curitiba e Recife.

– Países que mais ouvem: Brasil, França, Irã, Portugal e Alemanha.

06. Clara Lima

Assim como as gêmeas Tasha e Tracie, Clara Lima também faz parte do coletivo paulista CEIA ENT. Seus sucessos que tocam com mais frequência na plataforma nessa ordem são: ‘Poetas no Topo 3.1: Prólogo’, ‘Inimigos’, ‘Último Dia’, ‘Máximo do Máximo’ e ‘Filha do Sol’. A idade do pessoal que mais ouve seu som (61.66%) é de 18 a 25 anos.

– Cidades que mais ouvem: São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Curitiba e Salvador.

– Países que mais ouvem: Brasil, Portugal, Irã, EUA e França.

05. Drik Barbosa

Uma das protagonistas do coletivo Laboratório Fantasma, Drik começou a compor música aos 14 anos. Hoje, está no ranking de mulheres brasileiras do rap mais ouvidas no mundo como top 5. ‘Quem Tem Joga’, ‘Poetas no Topo 3.1: Prólogo’, ‘Língua dos Campeões’, ‘Poetisas no Topo’ e ‘Inconsequente’ são suas músicas mais ouvidas. Seu público majoritário tem entre 18 a 25 (55.44%) e 26 a 35 anos (33.89%).

– Cidades que mais ouvem: São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Curitiba e Salvador

– Países que mais ouvem: Brasil, Portugal, Irã, França e EUA.

04. Flora Matos

Quem nunca se pegou cantando “Pretin, desse jeito cê me deixa louca” que atire o primeiro fone! A música fez com que Flora Matos estourasse em 2014 e, desde então, a musa emplacou um sucesso atrás do outro. ‘Paradoxo Mítico’, ‘Preta da Quebrada’, ‘Pretin’, ‘Como Faz’ e ‘Piloto’ são suas músicas mais ouvidas. As pessoas que mais ouvem têm entre 18 e 25 anos (57.42%) e 26 e 35 anos (33.9%).

– Cidades que mais ouvem: São Paulo, Rio de Janeiro, Curitiba, Belo Horizonte Salvador.

– Países que mais ouvem: Brasil, França, Irã, EUA e Portugal.

03. Karol Conka

A Rapper mais famosa no Instagram (tem 1,4M de seguidores) se lançou pro espaço em 2014 com ‘Tombei’ – que, aliás, é a quinta música da cantora mais ouvida no mundo. ‘Nossa Que Isso’, ‘Saudade’, ‘Todos os Olhos em Nóiz’ e ‘Kaça’ são as músicas mais ouvidas e seus maiores fãs têm entre 18 a 25 anos (50.72%) e 26 a 35 anos (37.52%).

– Cidades que mais ouvem: São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Curitiba e Recife.

– Países que mais ouvem: Brasil, França, Irã, EUA e Portugal.

02. Negra Li

Uma das rappers mais tradicionais da lista, Negra Li já fez feat. com Chorão na saudosa ‘Não é Sério’, sua terceira música mais ouvida mundialmente na plataforma – sendo que a versão acústica ocupa a quinta posição. No primeiro e segundo lugares, respectivamente, estão ‘Favela Vive 3’ e ‘Poesia Acústica #7: Céu Azul’. Já a quarta faixa de maior audiência é ‘Uma Dança’. Seu público majoritário se divide nas idades de 18-25 anos (51.36%) e 26-35 anos (33.02%).

– Cidades que mais ouvem: São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Curitiba e Salvador.

– Países que mais ouvem: Brasil, EUA, Irã, França e Portugal.

01. Cynthia Luz

Finalmente, chegamos ao primeiro lugar do nosso ranking de top rappers femininas e brasileiras mais ouvidas na Deezer: Cynthia Luz é artista Deezer Next, projeto exclusivo da plataforma que busca destacar artistas em início de carreira com potencial para conquistar cada vez mais espaço em diferentes gêneros do cenário local. Começou com vídeos de rap caseiros. Correu atrás de produtores sozinha e entrou para a equipe do MC Froid depois que o rapper conheceu um pouco mais de seu trabalho. Após o lançamento do seu primeiro álbum “Do Caos ao Nirvana”, no final de 2017, Cynthia tem se mantido ativa e relevante no hip hop, lançando singles com frequência. ‘Me Negaram Amor’, ‘Praia do Rosa (Acústico)’, ‘Ela Tá Que Tá’, ‘Eu Não Valho Nada (feat. Cynthia Luz)’ e ‘Olhares’ são as músicas mais ouvidas da mineira na plataforma. A maioria de seu público (60.53%) tem entre 18 e 25 anos.

– Cidades que mais ouvem: São Paulo, Rio de Janeiro, Curitiba, Belo Horizonte e Salvador.

– Países que mais ouvem: Brasil, Irã, EUA, Portugal e França.