Em meados de dezembro, o mundo da música é tomado por apostas para saber quem será a grande revelação no ano seguinte. Nesta época, surgem várias listas de potenciais nomes para assumirem esse posto. Na Europa, mais precisamente na Grã-Bretanha, um nome vem chamando a atenção de todos. É o caso da cantora e compositora Celeste, de apenas 25 anos, que conquistou o troféu na categoria de “Rising Star Award” (em português, “Estrela em Ascensão”) no 40º BRIT Awards, que aconteceu em fevereiro de 2020. Em anos anteriores, esse mesmo prêmio já foi concedido a Adele e Sam Smith, dois grandes nomes da música internacional.

Nascida nos Estados Unidos, a britânica de ascendência jamaicana Celeste mudou-se com sua mãe para Brighton, na Inglaterra, quando ainda era criança. Na adolescência, começou a demonstrar seu interesse por música e se expressar através de suas próprias composições. Ela integrou algumas bandas e, aos 16 anos, divulgou sua primeira canção na internet. Nomeada pela emissora de TV BBC como revelação da “BBC Music’s Sound of 2020”, iniciativa que descobre e promove novos talentos, Celeste reconhece o importante papel que seu avô materno teve em sua vida. Foi ele quem a apresentou aos lendários artistas que posteriormente influenciaram seu som. Foi ele quem mostrou para a neta fitas cassetes de artistas como Aretha Franklin e Ella Fitzgerald, fazendo com que Celeste criasse uma profunda conexão com a emoção passada pelo soul clássico.

Desde cedo, a pequena cantora já fazia covers de diversos artistas, como Sly And The Family Stone, Ray Charles, Janice Joplin, entre outros. Com o passar do tempo, ela foi aprimorando e lapidando seu som, considerado irreverente e único dentro do estilo neo soul. Em março de 2017, Celeste apresentou seu EP de estreia, intitulado “The Milk and Honey”, contendo três faixas.

Dois anos mais tarde, ela viu sua carreira ganhar uma maior visibilidade, com o lançamento do EP “Lately”. Também em 2019, Celeste divulgou a faixa “Strange”, que entrou para a Radio 1 Playlist, da BBC, e fez com que ela alcançasse um maior público. O videoclipe da canção já ultrapassa a marca de 1.5 milhão de views. Em fevereiro deste ano, a cantora e compositora apresentou “Strange” no palco do BRIT Awards, arrancando aplausos dos espectadores e dos fãs em casa.

Apesar da curta carreira, Celeste acumula no currículo shows de abertura para artistas como Michael Kiwanuka, Janelle Monáe e Neneh Cherry. Em 2019, a cantora esgotou diversas datas de seus shows na cidade de Londres e apareceu, pela primeira vez, na televisão britânica, performando ao vivo suas canções no famoso programa “Later…With Jools Holland”.

De lá pra cá, Celeste já conquistou mais de dois milhões de ouvintes mensais no Spotify e mais de nove milhões de visualizações totais em seu canal oficial do YouTube, plataforma onde divulga seus videoclipes. No início de janeiro deste ano, ela presenteou os fãs com osingle “Stop this Flame”, que alcançou a posição número 8 na popular playlist “New Music Friday”, do Spotify, nos Estados Unidos. Até o momento, a faixa já arrebatou mais de oito milhões de streams. Com uma voz doce e melodia suave, Celeste já é considerada uma das grandes apostas de 2020, dando o seu toque especial para a soul music.