Uma das principais plataformas de cultura negra no mundo, AFROPUNK desembarca na festa dias 22 e 23, no circuito Barra-Ondina, ao lado de nomes como Mano Brown e Afrocidade

Música, moda, ativismo, empoderamento pela estética, liberdade de existência, resistência, igualdade global. Considerado o maior festival de cultura negra do mundo, o AFROPUNK estreia no carnaval de Salvador numa parceria com BaianaSystem e trazendo para a festa, pela primeira vez, o rapper paulista Mano Brown. A bordo do Navio Pirata – o emblemático trio do Baiana -, dias 22 e 23 (sábado e domingo), no circuito Barra-Ondina, sem cordas e com o tema “Carnaval da Consciência”.

No sábado, o Navio Pirata sai às 22h15 sob o comando de outro estreante em trios elétricos: o grupo baiano Afrocidade. Natural de Camaçari e reconhecida como uma das mais potentes novidades musicais da Bahia, a banda faz uma fusão entre a poesia de resistência do povo negro, ritmos populares baianos, como arrocha e pagode, e sons universais do dub, reggae e afrobeat.

E é o Afrocidade que dá as boas vindas a Mano Brow e com direito às companhias luxuosas de Russo Passapusso e Roberto Barreto, do BaianaSystem. “Pela primeira vez, iremos puxar um trio no carnaval de Salvador. Ter a oportunidade de dar continuidade a esse trabalho e evidenciar a música percussiva afro-baiana dentro carnaval, numa ação coletiva com o AFROPUNK, é muito potente e gratificante para gente”, afirmou o vocalista do grupo, José Macedo.

O trio ainda recebe as participações de Mc Cronista do Morro e do cantor do bloco afro Muzenza, Zeô – ainda no sábado. Já no domingo, quem comanda o Navio Pirata é a própria BaianaSystem, com as participações de BNegão, Vandal e Iracema Killiane, vocalista do “mais belo dos belos”, Ilê Aiyê.  Saída às 23h.

Aquecimento para o AFROPUNK Bahia

A chegada do AFROPUNK no carnaval baiano tem o patrocínio do Governo do Estado, por meio da Bahiatursa, e marca o “aquecimento” para o Festival AFROPUNK Bahia: a primeira edição do festival em toda a América Latina – ele já acontece em Paris, Londres, Atlanta e Joanesburgo, além do Brooklyn, onde teve início, em 2005. A edição baiana será realizada em novembro, dias 28 e 29.

“Ano passado, estive pela primeira vez no Carnaval de Salvador e senti uma conexão tão forte que não podíamos deixar de estar presentes nesta manifestação tão importante da cultura afro-brasileira. A Bahia me impactou à primeira vista e estamos muito ansiosos para a edição do Festival AFROPUNK lá. Será um momento marcante na nossa história”, destacou o co-fundador do AFROPUNK e CEO do Festival, Matthew Morgan.

Celebração de diversas expressões negras da diáspora africana imersas em atitude e ativismo de resistência, o AFROPUNK se apresenta como um ethos punk fundamental para a libertação negra. A missão é construir comunidade, diálogo e consciência.  O movimento acolhe e conecta a comunidade de jovens afro das gerações Y e Z com criatividade, inovação e colaboração, combatendo a marginalização e exclusão por sistemas, estruturas e ideologias sociais de supremacia branca, patriarcado heteronormativo e colonização. Atualmente, o AFROPUNK conta com uma audiência semanal, em suas redes, de 46 milhões de pessoas.

Serviço:

Carnaval da Consciência – uma parceria AFROPUNK e BaianaSystem

Data: 22 e 23 de fevereiro (sábado e domingo)

Horário:

  • Sábado (22): 22h15
  • Domingo (23): 23h

Local: Circuito Dodô (Barra-Ondina)

Programação:

  • Sábado (22): Afrocidade convida: Mano Brown, Russo Passapusso e Roberto Barreto (BaianaSystem), Cronista do Morro e Zeô (Muzenza)
  • Domingo (23): BaianaSystem convida: BNegão, Vandal e Iracema Killiane (Ilê Aiyê)