“Cypher Norte” é um projeto musical idealizado e realizado pela Banda Trinato, que conta com as participações de Zumbi do Norte e Desaforo Norte, ambos diretamente da M Norte, cidade administrativa do Distrito Federal.

Letra:

George:

É inacreditável… Tanto molequinho vulnerável,
Vi nela a cerva, viela interna, cela domável,
Tanto MC por aí, nós vamos ouvindo daqui,
Tentando na real distinguir
a moral é que tô enfermo mermo, qualitativa
É a vida que queremos, mas só temo vida paliativa
Tanta ideia, desde 2009,
letras que todo dia nascem e todo dia se dissolvem,
Ouve minha plateia imaginária,
Cheia de moleque e de – sedentária,
Com gana de Rap, com gana de Trap
Mas só difama minha ideia suburbana, minha mente autoritária,
Gente otária. Já entro em difusão
Propagação do que tenha na minha mente são
Terra de cego, não quero ser um rei caolho, meu,
Queria ter logo dois olho, nego ia me ver virando um deus
É um apogeu. Meu sol se afasta da terra,
Tudo vira um breu, mas logo minha mente se encerra, hey…
Beat me bate, me arrepia,
Cada célula minha fala que é disso que eu preciso todo dia
Êh rapaz, e se fosse só isso,
o Rap auxilia, estimula o raciocínio de um ouvido submisso.
Bagulho de outra vida, outro mundo,
Tipo chegar num lugar diferente e saber logo onde fica tudo
Mas me fecho, se pá cobriria até meu rosto,
Mas não tem como rimar sem deixar teu íntimo exposto,
Essa porra é minha projeção de vida!
Se não respeita a ausência de perspectiva te mostra a saída.

Bode (ZDN):

Hey! sistema é forte, zumbi não morre
coligação mano zulu no beat e o trinato da norte
mas sem passar o pano, to só com meus mano
bolando uns plano e fumaçando eu vou enganando a morte
se nego pira pra entender minhas viagem
um dia eu vou pra marte com uma mina num kart
eu sei, que é longe mais nunca é tarde
se o interesse vai além da gente “cê” não entende a vantagem
escute a mente e pare de passar sufoco
inclusive aguente que o amor vicia igual marlboro
não se assuste quando por acaso for pedir socorro
é a loucura de acordar de um sonho e entrar em outro
sonho, que a gente vive não há moda que suporte
a nota de corte não é o suficiente
se a gente engole o vomito da hipocrisia
nossos filhos que vão ser o futuro vão nascer dementes
Tipo DiCáprio eu assumo esse fardo
não importa os meios mas sim minha origem
me infiltro nessa praia sem pagar de otário
sou livre como django, Mano essa ilha do medo me da vertigem

Brunno Costa (Desaforo Norte)

Seguindo a vida coração, não sozinho nessa estrada
As parede pintam meu mundo que é um tudo feito do nada
E do nada, caligrafia toma conta da jornada
Jogado a essa dimensão vou me perdendo nas palavras
Ganhando nas emoção da experiência do convívio
A frequência aqui só aumenta e engrandece mais meu espírito
Empírico e sofredor, de cunho artístico eu arrisco
A cada passo que é dado me lembro mais do início
Compromisso disso, friso o relato constante enredo
Medo adversário, mas no meu encalço não tá ligeiro
Descompassa azucrinando os meu sonhos… Os pesadelos
Que eu vivo, o árduo é pesado e o ar da real eu sintetizo
Aí… Por entre vícios respiração almejo
Pra que se rebele a voz dos irmão que servo
E inteiro me entrego, fecho, repleto, confesso: bem acompanhado
Meus amigos, nunca deixaram de tá do lado
Então repenso meus atos, reflito a todo instante
Constante, sentido vida, eterna busca que é incessante
Eu relutante, passo firme, na fé num abaixo a cabeça
Não importa o que aconteça na prece se fortaleça
E prevaleça sempre toda a liberdade do interior
Do ser que habita ‘dendocê’ e te mostra todo o valor
E te prova o real valor dessa estadia sobre a terra
Sob o Sol da nova era, absorva somente o Amor, irmão
E propague somente o amor…

Artur:

Pra subir requer esforço, rala, sangue, suor nosso
Não acredito que um encosto controle seu lado mau.
AbsurdaMente Sã, do destino sou artesão,
mas não se acorda todo dia com uma ideia genial, normal
Então que se exponham os fatos
Bernini sem mármore esculpo lixo em meio aos ratos
Deram a nota, nem noto, só decantei
Buscamos mesmo é a embriaguez
Pensador sem pseudônimo de psicanalista
Minha mãe quer me ver de terno mas é foda seguir a risca
Nunca cobicei ser colaborador do mês
O RH da vida escravizou mais dos ou três
And I say “free your mind, dont keep blind”
Espanto todo mal agouro ao fazer o nome do Pai
Coisas vãs me abstraem “but I know what to do”
Eu só sigo o evangelho segundo Artur.

[youtube]