A cantora e compositora de 27 anos faz do hip hop sua arma contra e à favor do mundo. Ela é uma usina criativa de convicções, em que seu discurso tão feminista quanto libertário (nas mais diversas vertentes, da intolerância à opressão emocional) dita canções sublimes, embaladas por sua doce voz em gêneros abertos, do rap ao reggae.

Durante a adolescência fez parte de grupos de dança urbana em Jacareí, sua cidade natal. Foi quando descobriu a Cultura Hip Hop e canalizou sua veia criativa para escrever dentro dos gêneros que este abrangia. Suas influências musicais vão de Clara Nunes, passando por Jackson 5 até o nomes do rap nacional, como Sabotage, RZO, Expressão Ativa e Racionais MCs.

Após mudar para São Paulo, aos 20 anos, e concluir o curso de graduação em Moda, aceitou os elogios que sempre recebia por sua voz e colocou em estúdio na canção “Meu Rapjazz”. Lançada na internet, a aceitação foi imediata, o que levou a equipe que começou a acompanha-la a produzir um clipe para a música. No primeiro dia, ao chegar a 10 mil views, um ano depois saiu seu primeiro EP, batizado com seu próprio nome.

Já cantou com Marcelo D2, gravou com Izzy Gordon, fez shows com a banda de jazzrap Mental Abstrato, foi para o universo das rimas femininas no projeto “Rimas e Melodias”, entrou para a discussão de gêneros que sempre propôs no “Salada de Frutas” e a posição política a levou a novas composições, que culminam neste “Outra Esfera”.

[playlist]