Hoje (04/07/2013) o rapper Raek lança seu primeiro trabalho em forma de single, intitulado Cidade Luz, faixa que também estará inclusa na Mixtape Pensando Alto, também criada por Raek, que será lançada também em 2013.

Raek é um rapper candango de apenas 16 anos que ingressou no rap por meio das batalhas de MC’s realizadas em Brasília, como a Batalha do Museu. Após um ano duelando nas batalhas de Rap, está aí o seu primeiro trabalho como cantor e compositor.

Letra:

Lá fora a rua é cheia tipo formigueiro, carrega em si
A evolução, estampada no cimento fresco
Mais um dia se passa na selva,
30 graus, rotina-caos
As luzes escondem o cenário de guerra
A espera, de alguma coisa melhor pro outro dia
Cai por terra, quando esbarra na mesma monotonia
Que te manda de volta pra casa, sem reação
Sem companhia, a não ser pelos postes de iluminação
No trampo ainda tô por ver um mínimo de sentimento
De quem se deixou perder pelo teu falso acolhimento
Que coordena nas calçada e em cada bar de esquina
O neon nas alma opaca, quem aqui passa se ilumina
Fria, como as mureta que escora os mendigo
Abrigo quente pros covardes e pros seus sonhos esquecidos
À noite vem maquiada com seu brilho, até bonita
Empresta seu estilo pra todas as moça-da-vida
E nesse estilo termina sua noite-festa em meio à pressa
O que acontece amanhã sinceramente não interessa
E o que resta? Voltar pro mesmo lugar no mesmo horário
Se acorrentar a todo pique de todo esforço diário

A luz que ela tem, ofusca e faz brilhar
De onde quer que você vem, ela vai te iluminar
Com a sua predestinação a ter sucesso ou a falhar
Uma alma em um milhão, e ela vai te iluminar

Lá fora a minha correria e o cafezinho com esfirra
Tempo curto cenário ideal pro que chamam de vida
Contagiante e instigante o jeito que se movimenta
Ela não dorme nunca, mas às vezes se faz sonolenta
E observando toda vez, aquilo que te faz girar
Onde quem faz as leis, se vê no direito de burlar
Velho dito popular, que aqui não surte efeito em nada
Devagar não se vai ao longe, aqui se faz e não se paga
Com o tempo se autodestrói de forma simplória,
Vilão, herói depende de quem te conta a história
Aqui geral sabe o que é certo, mas essa que é a treta
Pois entre saber e fazer a diferença é gigantesca
A espreita do amor pra poder dar sua aparição,
Em meio à lama do ódio, contra o lodo da ambição
Feita de suor e concreto, pra se firmar no abstrato
Futuro totalmente incerto, a dúvida é o único fato
Cidade, seu passo de impulso vai tá nesses ladrilho
Cidade, se não te iluminar, vai tirar seu brilho.

A luz que ela tem, ofusca e faz brilhar
De onde quer que você vem, ela vai te iluminar
Com a sua predestinação a ter sucesso ou a falhar
Uma alma em um milhão, e ela vai te iluminar