Quando Yan Cloud completou 19 anos ele colocou na  rua a música Cobranças. Foi meu primeiro contato com o trabalho dele. Na ocasião, fazendo um desabafo que está incluído no EP, ele rimou:

“Quanto mais velho mais cobrança
Menos tempo, arrogância
Mais maduro, esperança
Eu percebi que esperar cansa”.

Não se entregando à espera, desde aquele dia pude acompanhar o rapper baiano trabalhando para evoluir. A cobrança trouxe evolução e, aos poucos ele foi galgando seu espaço com muita dedicação e principalmente: foco na qualidade.

Agora, quase um ano depois chega às ruas seu primeiro Ep “Alívio“. É impossível não observar todo o histórico da carreira do jovem Yan até esse momento do lançamento do Ep. Isso porque naquela música que inicia todo esse projeto, “Cobranças“, o rapper sente a força que o mundo exerce sobre nossos ombros quando alcançamos a vida adulta, portanto, o EP é o suspiro de Alívio, de alguém que diante de toda a pressão encontrou finalmente o seu caminho.

Terra de Ninguém

Nos introduz  na alma do EP, nessa faixa que é o interlúdio do álbum, Cloud prepara o ouvinte para grande parte dos questionamentos, sejam sociais ou sentimentais, que virão em todo o trabalho. A faixa é pequena, mas é suficiente para logo de cara Yan Cloud disparar suas rimas técnicas e repletas de contestações. Nessa música também percebemos parte de suas inspirações pessoais nos riscos da faixa “Crisântemo” do Emicida.

O que é seu em Terra de Ninguém?

Sete Bilhões

Um lovesong recheado de swing. O que mais gostei nessa faixa, além do beat envolvente, foi a capacidade do rapper de falar de amor fugindo do clichê. É interessante como a música remete ao título “Alívio” ao convidar para um romance repleto de leveza. A música ainda teve a participação de Débora Evequer que deu um toque de sensibilidade, fazendo dessa a minha favorita do EP.

“Eu sou a letra ela é o beat que dá vida a canção”.

Eu Sei

Outra faixa de amor, em minha opinião é a música mais envolvente do EP. O beat calmo faz a cama para a letra que lança mão de várias metáforas para expressar o sentimento. Um auto-tune bem usado também deu um ótimo efeito. É aquela música para se ouvir de olhos fechados.

“Foca no detalhe eu vou te e lendo em braile”.

Cômico

O nome já dá o norte sobre como a música virá. Cômico é uma faixa recheada de humor ácido disparado contra a cena do Rap. Como ele mesmo diz “pique ODB”. No melhor estilo braggadacious, é como se o MC tivesse resolvido testar nessa sua capacidade de disparar punchlines bem desenvolvidas. E não são poucas.

Mó Onda

Nessa faixa Yan traz a participação do rapper Zidane. Apesar de ter gostado muito, principalmente porque tenho acompanhado o trabalho do Zidane e curtido bastante, o auto-tune em algumas partes das dobras de voz, mais especificamente no refrão, acabou tirando o vocal do tom de afinação e fazendo com que a voz semitonasse. Não é um defeito que afete muito a qualidade como um todo,  pois dificilmente é percebido, mas incomoda os ouvidos mais treinado. Tirando isso, a música é muito boa, Zidane e Cloud partem para a luta por seus espaços na cena da forma que fazem melhor: rimando muito!

Cobranças

Essa faixa já ganhou uma postagem só para ela.

Acesse e confira: http://www.jornaldorap.com.br/assista-o-clipe-de-cobrancas-do-rapper-yan-cloud/

Show de Horrores

Como falei em uma matéria desse som, a música mostra “uma evolução nítida em cada verso que apesar de ser recheado de técnicas não perdem a essência da mensagem”. Confira mais:  http://www.jornaldorap.com.br/yan-cloud-lanca-show-de-horrores-confira/

IGNT2

Yan traz a Trindade (Yan Cloud, Ramon Kaizen, Ramires Ax) e o N’Ativa para disparar punchilens violentas, que aliás é uma das fortes características do Cloud, mas que nessa música todos capricham nas barras. Lancei “Cobranças” e agora vim pra cobrar, Yan Cloud já solta bem no início mostrando para o quê a música vem. Com um clipe muito bem produzido é uma grande faixa.

“Engole o vômito e as merdas que ce diz, seu papo é cômico mais clichê que o Nocivo fazer diss”.

É um EP com saldo bastante positivo, ótimos beats, bons clipes, mixagem e masterização certas, com o toque magistral do Christian Dactes e ótimas rimas.  As músicas conseguiram seguir uma linha em relação ao título “Alívio” e se harmonizam bem entre si. Portanto, o EP vale muito a pena ser escutado em sua totalidade. É a nova cara do Rap, vindo de fora do eixo e chutando as portas para que vejam sua qualidade. E, acima de tudo é um registro de uma evolução constante do rapper Yan Cloud. Finalizo com uma frase da IGNT2 que traduz bem o Ep:

“Bem vindos a requalificação do Rap”.

Dá o play.