Há exatos 40 anos, Tupac Amaru Shakur (ou 2Pac) veio ao mundo. Filho de dois membros da organização negra radical Panteras Negras, Tupac nasceu no Harlem, em Nova York. Na adolescência, ele se mudou com a família para a Califórnia.

Tupac foi o maior representante do gangsta rap. O estilo tratava de mulheres, festas, gangues, armas e drogas como elementos inevitáveis de uma vida no gueto destinada a ser de curta duração.

Acusado de fazer apologia à violência, de ser machista e homofóbico, o gangsta rap multiplicou por dez o fator controvérsia do hip hop, que emergiu dos anos 80 já como constante alvo de críticas. Ao mesmo tempo, o gangsta rap foi o maior responsável por fazer do rap o gênero musical mais bem-sucedido dos EUA, ultrapassando o country na virada do milênio.

2Pac teve grande contribuição nessa festa das vendagens, graças a singles como California Love, Dear Mama e I Get Around e álbuns como Me Against the World, All Eyez on Me e The Don Killuminati: The 7 Day Theory (póstumo). Todos os três chegaram a número um nos EUA. Aliás, Tupac divide com Lil Wayne a façanha de serem os únicos artistas a estarem em primeiro lugar das paradas de sucesso enquanto estavam na prisão.

Tupac viveu e morreu como um verdadeiro gangsta. Em 7 de setembro de 96, por volta das 11 da noite, em uma rua de Las Vegas, um Cadillac branco encostou no carro onde estava Tupac Shakur. O rapper estava acompanhado de um grupo grande, incluindo o dono de sua gravadora Death Row, Marion “Suge” Knight. Todos voltavam de uma luta de boxe entre Mike Tyson e Bruce Seldon.

O vidro do carro desconhecido baixou e de dentro vieram uma saraivada de balas que feriram Tupac mortalmente. O rapper morreria no hospital alguns dias depois. O culpado ou culpados não foram descobertos até hoje e o caso permanece em aberto na Justiça americana.

O principal suspeito desde o começou foi o rapper Notorious BIG ou Biggie Smalls, de Nova York, rival de Tupac e objeto de ofensas e ridicularização em muitas de suas letras (o contrário também ocorria). A rixa entre os dois simbolizava uma briga muito maior, entre rappers da costa oeste e costa leste dos EUA.

Provas nunca foram apresentadas e B.I.G., assim como seus representantes, sempre negaram com veemencia qualquer acusação.

O próprio B.I.G. seria assassinado sete meses depois, também em circunstâncias até hoje não esclarecidas.

FONTE: virgula.uol.com.br