A primeira edição do projeto Bréshow percorrerá a periferia de São Paulo com atividades simultâneas, como shows de rap, feira de roupas e acessórios femininos, rodas de conversa, desfile de mulheres da periferia e apresentações de militantes do movimento LGBT.

No próximo sábado (27), o Espaço São Mateus Em Movimento, localizado na Vila Flávia, zona leste de São Paulo, será palco da primeira edição do projeto Bréshow, uma iniciativa criada por Jô Maloupas, articuladora cultural e integrante do grupo de rap feminino, Odisseia das Flores, para atrair o interesse dos jovens da periferia para discutir questões de gênero e sexualidade.

Engajadas em fortalecer  a presença da mulher na cultura Hip Hop, o grupo Odisseia das Flores coloca em prática mais uma iniciativa para ampliar as suas ações socioculturais na preferia de São Paulo. “Nós queremos empoderar um número cada vez maior de meninas da periferia, mostrando à elas que existem outras possibilidades de consumir cultura e informação”, diz Jô Maloupas, revelando a essência e a consciência social do grupo.

“Há cerca de um ano nós estamos tentando colocar em prática essa iniciativa. E como o coletivo São Mateus Em Movimento, que eu faço parte, foi convidado para participar do circuito “Estéticas da Periferia”, uma ação cultural promovida pela Ação Educativa, eu percebi que tinha tudo a ver com a proposta do Breshow”, explica Jô, ressaltando que o projeto será uma ação importante para interagir com as jovens mulheres da comunidade.

Além do show das Odisseias das Flores, o Breshow contempla a realização de diversas atividades culturais na comunidade da Vila Flávia, como um brechó com roupas e acessórios femininos cedidos pelas integrantes do grupo, um desfile com jovens da periferia, rodas de conversa sobre questões de gênero e sexualidade, uma intervenção artística com a drag quenn Leandra Gitana e uma apresentação do rapper T.Flow, militante da causa LGBT no movimento Hip Hop.

Odisseias das Flores

T.Flow

Ela considera a participação do rapper T. Flow e da drag quenn Leandra Gitana um fator importante para inserir a questão de gênero e sexualidade no movimento Hip – Hop. “Estamos apostando na realização da roda de conversa com meninas e meninos da comunidade, para eles terem um espaço de escuta e de aprendizado. Eu penso que esse bate papo será um dos pontos marcantes do evento, assim como a apresentação do T.Flow e a performance da Leandra Gitana durante o nosso show”, enfatiza a rapper.

Visando propiciar um dia de rainha para as meninas da comunidade, Jô pensou em cada detalhe da estrutura do desfile, para divulgar as peças do brechó e empoderar as meninas. “Já contratamos os serviços de um maker e de uma costureira da comunidade, pois estamos preocupadas com o bem estar das meninas. Queremos que elas se sintam poderosas e valorizadas neste dia”, ressalta, lembrando que o brechó será realizado em forma de feira com barracas de brincos, bonés, calças, camisetas, blusas, vestidos e calçados.

“Além de ser um projeto de impacto social voltado principalmente para as meninas da periferia, o Bréshow também é uma forma de arrecadar fundos para a gente investir no lançamento do nosso segundo disco”, finaliza a rapper.

Agenda

Projeto Bréshow

Local: Espaço Cultural São Mateus Em Movimento

Endereço:  Rua Cônego José Maria Fernandes, 127, CEP: 03960-040 – Vila  Flávia – São Paulo

Data: 27/08

Horário: 14h

Entrada: Gratuita

 Sobre Odisseia das Flores

O grupo é formado por Jô Maloupas, Chaiane Ezequiel e  Letícia  da Silva, que desde 2008 focam seu trabalho na luta pela valorização da mulher na sociedade. Com originalidade e protesto como postura principal, o grupo vem trazendo à tona problemas do cotidiano e mostra também as dificuldades de se trabalhar em um espaço predominantemente masculino, deixando clara principalmente a resistência feminina. Em 2010 conheceram DJ Dog que já passou por vários grupos conceituados de SP, o mesmo com sua experiência de mais de 15 anos no Rap Nacional, chega para somar com suas ideias inovadoras deixando esse trabalho mais dinâmico e original. As integrantes do grupo compõem e interpretam suas músicas, com influências diversas, do Rap, Reggae, samba, capoeira, Maracatu, Blues e MPB. Além disso, as Odisseia das Flores participam e realizam trabalhos sociais voltados para as comunidades da periferia de São Paulo, atuando em eventos culturais, em sua maioria realizados por coletivos independentes da periferia, como atividades em ONG’s e Associações, elas desenvolvem oficinas de M’C, palestras, debates e elaboração de projetos sociais e culturais.