“Homem Figa Vol. 1” tem participações especiais de Mano Brown, Rashid, Kl Jay, Xis, Marechal entre outros

[button color=”black” link=”http://www.mediafire.com/?u245xi1ssix7ahe” target=”_blank”]Baixar[/button]

Artista: Terra Preta

Álbum: Homem Figa vol.1

Ano: 2012

Produção: StereoDubs[bb]

Gravadora: Independente[bb]

“Homem Figa Vol. 1″: 1 – Nossos Sonhos Renascem / 2 – Me Mostre Um Pouco De Amor (Part. Rincon Sapiência) / 3 – Nasce, Cresce E Morre / 4 – Nunca Imaginei / 5 – Andarilho / 6 – Jogue A Primeira Pedra / 7 – Todo Dia Nasce Uma Estrela / 8 – Os Muleke É Zika / 9 – Lutar Até As Últimas (Part. Junior Dread) / 10 – Não Chore

::: NOSSOS SONHOS RENASCEM (INTRO) :::

“Todos os que têm planos venham comigo / contanto que sejam insanos, e corram perigo / pois eu carrego as estigmas / essas são as últimas / as palavras vão libertar todas as vitimas / por onde o meu sonho for devo saber que a intenção é de regar a flor / por isso digo que planto rego, levo comigo, um dia estive cego, a F.I.G.A. que me deu visão”

O renascimento de um sonho, o do amor por meio da música. A introdução de “Homem Figa vol.1” é a reflexão de Terra Preta do que ele chama de “outro patamar de consciência que está experimentando”. Antes de começar a viagem pelo mundo do artista, é bom saber o significado da tal figa que Terra tanto fala: Fazer a Imaginação Gerar Algo. A canção é finalizada com cantos que fazem referência à África, aos cantos entoados por tribos. “Essa música transita entre esse estado espiritual e ao mesmo tempo anuncia uma nova vida, como se fosse meu renascimento musical”, revela Terra.

::: ME MOSTRE UM POUCO DE AMOR :::

“Quanto você tem? Quanta grana tem no bolso pra bancar essas modelos?”

“Me mostre um pouco de amor / esqueça o quanto vale a garrafa que carrega o licor / difícil entender / mas o mundo é uma vitrine não importa o lugar que eu vou / deve ter algo além / nada disso me convence olhares atraentes parecem não passar de ilusão / mesmo assim a minha mente se torna tão ausente / não sabe distinguir o real”

Mais amor, por favor! Em sua primeira entrevista sobre “Homem Figa vol.1” Terra Preta desabafou: “O hip-hop nacional podia falar mais de amor. A nova geração já é desprendida, pode falar disso numa boa. É um tema que eu priorizo, porque a música é universal e todo mundo sente as mesmas coisas”, comentou ao portal Terra. Nesta canção que conta com participação do rapper Rincón Sapiência o artista mostra com transparência essa sua preocupação em priorizar o amor e criticar o materialismo.

::: NASCE, CRESCE E MORRE :::

“Não posso lembrar o que você fez / tentando se vingar foi estupidez / eu tive que pisar um degrau por vez / pra ter de superar sua insensatez / na camiseta há marcas do seu batom / te levo pra deitar a luz de néon / eu tive de pisar um degrau por vez / pra ter de superar sua insensatez”

Ele canta, ele rima, e sim, ele ama! E em meio a tanto amor, não poderiam faltar brigas. Uma das faixas mais românticas do disco também é o primeiro single do álbum, e já ganhou um belo videoclipe. Com direção e edição de Paulo Chun e Leonardo Park, o vídeo mostra o amor entre um casal e o triste fim da história. A faixa promete arrancar suspiros e virar trilha sonora de muitas brigas de casais. Nasce um porta-voz do R&B brasileiro.

::: NUNCA IMAGINEI :::

“Pra recordar seu sorriso no meu porta-retrato / eu nunca imaginei / meu coração em pedaços juntando estilhaços / eu nunca imaginei / que eu nunca mais poderia escutar os seus passos / demorou tanto mas agora percebi e posso contemplar com meus olhos”

Em uma de suas mais belas composições, Terra Preta construiu uma música com potencial para hit da R&B brasileira. Ele mostra sua versatilidade nos diferentes timbres de voz e também rimando. A canção é a contemplação da vida e Terra se inspirou quando a avó de um amigo faleceu. “Ela criou ele. Quando faleceu, o afetou de uma forma muito forte. Passado algum tempo, me veio a mente a história desse amigo, durante uma reflexão minha sobre a vida e nossos valores. Chorei pela tristeza do meu amigo e resolvi eternizar o momento em uma bela canção”, conta.

::: ANDARILHO :::

“Vivemos tempos difíceis / e é necessário ter a luz para poder caminhar na escuridão / os inimigos são invisíveis / se manifestam quando está sozinho ou tá na multidão / oferecendo o melhor caminho / e desse jeito te atrai para um labirinto sem solução / mas sou um andarilho, só me encontro quando estou sozinho / um homem só seguindo em frente por esse deserto”

Em Andarilho, Terra Preta faz uma analogia da jornada comum de muitos homens solitários pelo mundo com a independência dele como artista de rap. Mais uma vez ele lança um disco desta forma, desgarrado, com autonomia e garra para vencer suas barreiras, dando início a uma nova fase. Sua inspiração foi a bíblia, quando Jesus é humilhado por uma multidão. O objetivo é levar uma mensagem de força e fé para seus ouvintes, cada um focado em sua luz espiritual ou os desejos que os movem.

::: JOGUE A PRIMEIRA PEDRA :::

“Ela era apenas uma gata atrás de uma grana, andando pela vida e pisando nas calçadas da fama / Mentalidade insana que mantém sua chama acesa/ pois faz de tudo para manter esse pão sobre a mesa / becos escuros se tornam fortalezas / e as pessoas que te amavam já não são mais as mesmas / consciente de que o homem na frente é só mais um cliente / cada experiência é uma nova surpresa”

O rapper ironiza a vida dura das prostitutas como uma “paixão de avenida”. Em um dos seus raps mais pesados, cita ainda os baladeiros de plantão a espera de uma garota para “arrastar”. O trabalho duro e marginalizado fere até a alma. A batida dramática ressalta a essência de Terra Preta, o rap anos 90, que sempre abordou temas sociais de forma contundente. “A parte no final onde declamo: ‘salve o rei, salve o rei’ é outra referência bíblica, sobre o momento da crucificação, velório e ressurreição de Cristo, assistida por mulheres, entre elas, Maria Madalena, que pelo imaginário popular teve o estigma de ser prostituta”, explica o artista.

::: TODO DIA NASCE UMA ESTRELA :::

“Todo dia nasce uma estrela / e esses vagabundos tem os sonhos do tamanho do universo / Passo os meus dias conquistando os planetas / desvendando os segredos de todas constelações”

A sétima faixa de “Homem Figa Vol. 1” narra parte da história de Terra Preta. Segundo o músico, “soa mais como um desabafo”. O objetivo foi contar como ele teve de lidar com a inveja durante parte de sua carreira. Uma das frases da música, que fala que não existe pacto entre homens e leões, é o resultado da inspiração que partiu do filme Tróia, na cena da luta entre Aquiles e o príncipe de Tróia.

::: OS MULEKE É ZIKA :::

“Os mulecote da quebrada do rolê: zica! / pode chamar que é noiz, tamo envolvido nessa fita / quando ouve o pancadão, nego não desacredita / põe os grave pra bater, me diz ai: como é que fica?”

O batidão promete invadir as pistas: grave ao extremo, influência do dirty sound e ninguém ficará parado. A música mais dançante do disco tem elementos e gírias que segundo Terra, “é o que pega na quebrada”. Não precisamos dizer mais nada. Aumenta o som e procure a improvise uma pista de dança.

::: LUTAR ATÉ AS ÚLTIMAS :::

“Andei em busca de soluções / naveguei por um mar de questões / sem ninguém para me responder / cansei de viver atrás de ilusões / e fazer pacto com leões / simplesmente pra sobreviver”

Terra Preta revela seu lado raggae em uma música suingada e com clima praiano. A luta e a justiça não ficam pra trás e ele lembra que a batalha não pode acabar desde que haja sabedoria e fé. O som conta com a participação de Junior Dread.

::: NÃO CHORE :::

“Quando eu sair / não se preocupe tem um lugar / esqueça tudo e volte a dormir / garota não chore não, não chore / sei que hoje o Sol vai sorrir se acaso o telefone tocar / esqueça tudo e volte a dormir / garota não chore, não chore”