Acendo um cigarro dando bico no café amargo

Concentrando-me em algo que não me desfaço

Soprando a fumaça que me causa angustia

Abrindo as portas de casa que me levam a rua

Mutilado emoções, heranças matérias.

Deixando de ser refém do que não quero mais.

Encontro marcado parada no mesmo ponto.

A minha discrição na dianteira de um ônibus

Espremendo-me entre os passageiros

Alguém me chama mexendo nos cabelos

Procuro na carteira uma moeda de pouco valor

Motorista impaciente vê meu troco cobrador.

Quebrando a monotonia da viagem rotineira

Lembranças que me acompanha e não me sai da cabeça

Bebê a bordo, paralíticos, sombrinhas.

Ousadia no decote dando ar de Monalisa

Fazendo tesourinha, pontes avenidas, jardins.

Meu palhaço tatuado de tinta nanquim

Roendo as unhas, sentado num dos bancos.

Síndrome de impaciência em meio ao trânsito

Vou sorri pra quem me pede um sorriso

Quero relatar no rap algo sobre isso

Carro, motocicletas, buzina, pernas no sobe desce.

Em Taguatinga norte o buzão desaparece

Puxo o sinal á poucos metros da calçada

Meu amor tem endereço certo próximo parada

Praça do relógio vendedores ambulantes

A sorte madrasta me convida a todo instante

Olhar perdido de um cidadão desempregado

Mendigos, meretrizes, bêbados e viciados.

Achei no chão um bilhete usado de metrô

Poluição visual anúncios com vigor

Não sou doutor nem tão pouco professor

Imagens refletidas nos óculos de um camelô

Vitrines horizontais lojas de conveniência

Postos de gasolina pastores com suas crenças

Musica urbana em ritmo descompassado

Conduções lotadas nas calçadas o povo aglomerado

Antiquários revendedores de moveis usados

Marmita mal engolida na poeira do salário

Sinal verde cruzamento aumenta meu tédio

Mais não tem revolta não!

Eu só quero que você se encontre

Ter saudade até que e bom!

E melhor que caminhar vazio

A esperança e um dom!

Que eu tenho em mim…

Eu tenho sim

Não tem desespero não!

Você me insinuou milhões de coisa

Tenho o sonho em minhas mãos!

Amanha será um novo dia

Certeza vou ser mais feliz

Letra: Dino Black