Brincando com diversos ritmos e temas, o disco é embalado com uma grande vontade de reunir pessoas diferentes e levar informação

Influenciado pelo estilo de Kanye West e Ryan Leslie, no início de 2012, veio a inspiração para o EP. Contando com 11 faixas, as músicas trazem histórias, detalhes que fazem viajar e entrar na batida e na melodia das letras, além de assuntos pessoais. “Tetris”, “O dia vai ser bom” e “ainda lembro” fazem parte dessa nova fase de Keels e mostra a variedade do artista.

A essência da proposta é fazer da música informação e misturar tudo para unir pessoas que se identifiquem com suas ideias. “Para debater e chegarmos a um denominador comum, porque sempre temos algo a aprender, focando na simples arte de viver e ser o melhor que nós podemos ser”, concluiu Keels.

Vindo de Itu, no interior de São Paulo, quando criança o rapper observava os adultos improvisando algumas rimas e foi com esse olhar de menino que fez disso hobby, lazer e hoje em dia quase terapia.

Anos mais tarde, ao cursar produção produção musical, Keels se tornou um dos colabores do selo Reclivre, colobarando com algumas produções, mas logo se distanciou do coletivo por distancia e por divergencias de ideias . Mas, “depois que terminei a faculdade, me vi formado, sem um emprego fixo e me lembrei que nunca quis isso. Precisava de mais”, contou o rapper. Chegou o momento de transmitir sua herença humana, se aprofundando mais na música e se desprendendo de nomenclaturas e vertentes.

A parte técnica desse EP, mixagem, masterização e as produções serão por conta do próprio Keels, exceto duas músicas produzidas pro impuro e uma por Chiocki as gravações foram feitas no Studio Impar.

Link de download do EP http://www.mediafire.com/?i905uir5q71o0y9