Estreia na quarta-feira, 25 de dezembro, o documentário Florianóia – ritmo e poesia na melhor capital do país, que faz um retrato de Florianópolis através das letras do rap produzido na cidade. Disponível e liberado para todos online, o média-metragem também conta e contextualiza o surgimento do gênero na capital catarinense.

O rap e a cidade de Florianópolis, aparentemente, não combinam. A música carrega o protesto, a crítica social e uma agressividade próprias. A cidade de Florianópolis, por outro lado, é perfeita para quem vê de fora. Conhecida como “Ilha da Magia” e com a boa fama confirmada pelo seu ótimo IDH (Índice de Desenvolvimento Humano), parece imune aos problemas. Mas ela não foge das críticas rimadas que ecoam desde as periferias. Os rappers sabem do que falam: há algo por trás da Beverlly Hills catarinense. Arma-Zen apelidou de Florianóia. Rael LdC chamou de Ilha de Concreto. E a lista segue.

Este é o documentário de estreia de Giovanni Bello e Lucas Inácio. Giovanni concluiu o curso de Jornalismo da UFSC em dezembro deste ano e tem experiência como fotógrafo e cinegrafista, tendo passado pelo jornal Diário Catarinense. Lucas também estuda Jornalismo na UFSC, e encerra a graduação em julho de 2014. Tem boa formação na área de áudio, além de cinco anos de participação em grupos de samba e pagode de Florianópolis.