Gegê que é MC, Professor, Educador e Militante do Hip Hop.

Mora em São Paulo e há 13 anos vem trabalhando, difundindo e articulando, através do coletivo Caos  do Subúrbio, a música rap como instrumento de luta, debate e reflexão. Pelo coletivo já foram lançados um single, um disco, um DVD e um clipe.

A produção do Caos do Subúrbio contou com a colaboração de nomes importantes da cena atual que atuam independentes em suas produções como CIA.. de Teatro e Dança Capulanas, Comunidade Cultural Quilombaque, Dj Erry G, King Nino Brown, Rappin Hood, Criolo Doido, CrespoSim, Pegada Preta, Raphão Alaafin, Phanton Dk, Jô Maloupas, Akins Kinté, Dj Pow, Replik e algumas produções com Dj Dandan, James Lino, Gaspar Záfrica Brasil e muitos outros.

Gegê também colaborou, com suas composições e rimas, com vários coletivos como Bá Kimbuta, Nus Corre e recentemente com o grupo Família 4 Vidas. Relacionando suas outras atividades atua como palestrante e mediador de eventos relacionados a questões da negritude e hip hop militante.

No inicio de 2012, a gravadora independente Rec Livre Records fez o convite ao para empreitar um projeto musical, que perdurou até agora, agosto de 2013, onde foi concluído o disco Di Gegê Pra Jejês.

Compilação que propõe outra linguagem dentro da música rap, a qual consiste em conceitos e discussões várias, sob a ótica afro-diaspórica.

O trabalho conta com detalhes e traços que vão desde a escolha do nome até suas bases e inspirações em toda a produção. Segundo o próprio MC existe todo um estudo da etimologia da origem dos povos Jejês e por isso, o CD traz esse nome.

Outros dois pontos importantes dizem respeito à musicalidade e produção. Todos os samplers são citações de artistas negros importantes dentro da música universal como Barry White, Teddy Pendergrass e vários outros e suas inspirações estão atreladas as lutas que outros personagens da história travaram. Nomes como Zumbi dos Palmares, Clemetina de Jesus, Gangazumba, Nzinga, Dandara, Lima Barreto, Gregório Bezerra, José do Patrocínio, Frederick Douglas, Harriet Tubman, Nkruman, Amilcar Cabral, Mandela, Steve Biko, Martin Luther King, Anastácia, Tereza Batista, Rosalina Pereira e José Dias além das várias Marias e Josés que compõem a base que sustenta toda a história desse país e quiça do mundo, ou seja, os oprimidos.

A produção é essencialmente boom bap, um dos vários segmentos que a música RAP produziu, que em inglês é uma onomatopeia, referência que se faz ao toque básico de um tambor, ou seja, boom – grave e bap – agudo- que remete ao caixa.

Serviço:
Show de Lançamento CD Di Gegê pra Jejês
Data: 13 de outubro
Horário: a partir das 17:00
Local: Praça Padroeira do Brasil, 78
Preço: R$10,00