Dizzy é a resposta que o hip-hop deu à disciplina, um equilíbrio anárquico que permanece puro, por nunca se ter distanciado…da livre criação, descomplexada de datas e prazos.

A garantia do norte está na lírica e no peso da mensagem, o amor à música está na batida atrevida, aberta a uma cultura que nunca se quis fechada! A experimentação flui com o método de procura e evolução, nunca limitados a não ser pela qualidade da mistura que nos inunda o ouvido. Não é um monstro do palco, ou um bicho de estúdio, não é o típico gangster nem o batido menino da foz, é uma escritor real, com problemas de pessoas reais.

Ser transparente é ter a coragem de baixar a guarda, ouvir além da imagem, perceber a escrita e interpretar a história. Ser transparente é ouvir, sem precisar de ver.