O videoclipe faz parte do projeto Ritmo, Poesia e Preservação idealizado pelo grupo com apoio da Fundação Verde Hebert Daniel, Ocupe o Lago e #aceiteodesafio.

O projeto tem como objetivo unir o rap e a preservação ambiental difundindo assim para o publico do rap a importância da conscientização do meio ambiente, o projeto também conta com intervenções em batalhas de MCs e oficias de rimas de improviso, break dance e basquete em escolas do Distrito Federal.

[Download 1] – [Download 2] – [Facebook] – [Youtube]

BesouroBass Letra:

INTRO:
Você sabia que todo capoeirista tem direito de escolher seu nome novo, e esse nome é pra vida toda, até pra depois da vida, já escolheu seu nome? Já! Qual é? BESOURO!
Avoa besouro, o povo diz que você avoa agora, avoa ai pra mim ver”

ANTUNEZ:

Por que besouro? Quantas vezes já me perguntaram/
Respondi: – resistência! Acho que não assimilaram/
É sinônimo de força tento explicar/
Pq não adianta bater se vc não aguenta apanhar/
O casco forte como escudo protegendo a asa/
Pra trilhar nosso caminho até na faixa de gaza/
Conhecidos pela persistência, não fogem de peia/
É sangue de besouro que corre na minha veia/
CIRCULANDO! Todo rap que passa pelo corpo/
Do pé até a mente, estando são ou estando louco
E alguns já disseram que o leão é dono da selva e disso eu já sei/
Com a batida da asa levanto voo corto sua juba e viro rei/
e pelo tamanho vc ta desacreditando/
então abaixa a cabeça que os besouros tão voando.

NENZIN:
Quando me viram no alto tentaram me derrubar/
Sabotaram meu caminho tentando me atrasar/
Mas essa zica aqui não pega, SAI PRA LA! SAI PRA LA!
Voou, subiu pra longe, eu duvido vcs me alcançarem/
Contra a própria natureza, lutando contra o vento/
Orgulho eu até tenho de poder servir de exemplo/
Rinoceronte da ponte pra ca, vivendo seu momento/
Faço com que cada letra eternize o sentimento/
Não é só por ser besouro, em busca do tesouro, o ouro é pros sábios sentir o apavoro, do menino pequenino que engoliu o choro, e agora ta crescido e ta lutando que nem touro
ESTOURO!
Podia ser a sensação, mas preferiu buscar o céu procurando uma salvação, orgulho na missão que se fez por cumprida, e as rima aqui é mato, capinando essas batidas.

REFRÃO:
Vencendo as batalhas, “é nós que voa”
Distante dos canalhas, “é nós que voa”
Vivendo sem deixar falhas, “é nós que voa”

OSIK:
Força de um besouro não fica caído, C4 na mente então sente o estampido, olhando pra frente, queixo sempre erguido, o vento vc sente, escuta o zumbido.
Surpreende a pancada, aqui nunca se afaga, se alastra no mundo igual uma praga, veloz como a luz que se auto propaga, forte e reluzente, brilho que não se apaga
É o rap na mente tomando de assalto, besouro que passa queimando o asfalto, prepara o impulso já manda um salto, olha la pra cima e me vê no alto
Isso é besouro, força de rinoceronte e pegada de um touro.

MARINHO:
Já disse que é nós que voa, não arrego pra ninguém, to acostumado a abrir porta onde nem parede tem
Para, não me compara, fica de cara, porque nossa correria alcançaria um trem bala.
Há 4 anos atrás nosso palco era um sofá, o microfone imaginário no ensaio na sala de estar
Mas passo por passo continuamos a caminhar, persistência é um ingrediente que não faltar
Me ofereça ouro ou a melhor renda, nada me seduz nossa união não ta a venda,
Minha matilha, quadrilha, na mira, engatilha
Que maravilha, família na pilha é trilha na guerrilha
Somos tudo que fazemos, que temos, que merecemos
Falsos nunca entenderão que fazer rimas é o de menos

REFRÃO:
Vencendo as batalhas, “é nós que voa”
Distante dos canalhas, “é nós que voa”
Vivendo sem deixar falhas, “é nós que voa”.