Rappers apresentam seu novo álbum, “Vivo em Nome Disso”, com objetivo de valorizar a cultura da música nacional

O grupo de rap introduz seu segundo disco no segmento e espera que o hip-hop ganhe espaço na preferência popular. A intenção principal é de elevar a importância da cultura da música brasileira e desmistificar o ritmo como um “som do gueto”.

Segundo o músico Playmobil (Felipe Abreu), compositor e integrante do grupo, o rap da C. Army não nega as suas origens, mas vai mais adiante: “a música pretende passar uma mensagem e um recado para sociedade. Isso vai muito além do que simplesmente cultuar um status ou uma condição social. O rap é a nossa vida e precisamos conscientizar as pessoas que levamos isso a sério”, afirma o rapper.

Fundada em 2008, C. Army Rap Nativo que é composta por quatro integrantes: Cadu, Bê, Playmobil e Dinho. Em 2012 lançou o seu primeiro CD: “C. Army contra o fim do mundo”. Na época a formação do grupo era diferente e possuía dois componentes que não fazem mais parte da banda atualmente.

O disco teve duas faixas gravadas no estúdio UFlow, onde Shawlin e ConeCrew Diretoria também produzem algumas de suas músicas. A previsão do lançamento é no dia 14 de novembro e custará R$ 10,00. O álbum contará com nove faixas, sendo cinco delas inéditas. A equipe está trabalhando paralelamente na produção do clipe da música “Natural” e pretende lançar na web, em seu canal do YouTube, em até fevereiro de 2015.

Confira as faixas do “Vivo em Nome Disso”:

1 – Intro

2 – Turn Up

3 – O que eu gosto

4 – Conexão Rio-Sul Part. Japa

5 – Natural

6 – Inspiração

7 – Como For

8 – Nova Escola

9 – Mercenária