O terrível ladrão de loops, o pirata Barba Negra, novamente ataca

Continuando a parceria com o produtor Sala 70, o MC do Vale do Paraíba trás em “O mistério de um loop velho” uma crônica do túnel do tempo. Uma conversa com a verdadeira fonte de inspiração dessa obra: o vento.

Com uma bela melodia, resgatada de um velho baú dos anos 70, Barba Negra apresenta um Rap mais sereno. Uma espécie de delírio. Olhando a babilônia com outro ponto de vista. Rimas a luz do Sol.

A cena/música traz também um diálogo com a arte e a atmosfera sacra, visitando a criação dos desenhos do Eremita aka Bruno Brito.

A Ópera do Pirata tem um tom de “Renascimento” (simbolizado na própria capa do disco). E como na Renascença, no final deste fragmento, o rapper reassume sua característica de costume: botar o dedo na ferida da sociedade.

Esse é o RAP do pirata. Uma viagem feita a 10.000 loops atrás.

[youtube]