No Carnaval 2018, as bandas firmam parceria através de um single que traz memórias dos futuros carnavais.

Poucas semanas depois da secular Lavagem do Bonfim, em Salvador, um outro acontecimento toma conta do bairro do Rio Vermelho, localizado do outro lado da cidade. Também de natureza religiosa mas com apelo festivo, o dia 02 de Fevereiro é dia de Iemanjá. Talvez a divindade mais conhecida fora dos terreiros. A adorada Rainha das Águas.

Com o passar do dia, as energias se transformam e mais uma vez a manifestação assume contornos do Carnaval, que tem seu início a poucos dias dali.

O encontro entres os dois grupos, tantas vezes imaginado pelos fãs, já era uma vontade antiga dos músicos e chega no clima de renovação dos caminhos em 2018.

“Alfazema em Salvador. Lavanda em Recife. E a síntese de duas potências que se admiram e se misturam em harmonia”, afirma Pupillo, que assume a produção musical do single.

O título da faixa evoca o tão lembrado aroma da lavanda, conhecido por quem já viu o desfile do Afoxé Filhos de Gandhy e popularizado nos carnavais de rua de antigamente. São cenas com cheiro, flashs da folia.

“Essa faixa parte de um simbolismo feminino e remete às boas memórias.  Alfazema eleva, alivia. É essa sensação de lembranças… do cheiro do carnaval de rua, associado ao ato de benzer, de envolver em proteção”, explica Roberto Barreto, responsável pela guitarra baiana no BaianaSystem.

Os carnavais da Bahia e Pernambuco estão ligados por frevos e tambores. Por lembranças e histórias, cheiros e memórias. Das ruas e dos becos, das festas de Santo e das festas de Largo.  Das caminhadas e dos carnavais. O cenário é sempre  repleto de energia e intensidade. “Alfazema” chega como uma oferenda, que agradece mas que também expressa proteção.

[youtube]